Depoimentos

Aqueles olhinhos de japonês deixaram a dúvida no ar congelante da sala de parto. Eu, tremendo de frio, perguntei. A pediatra respondeu: “Não dá para afirmar. Parece que sim. Mas e daí?” Fui para o quarto; Bernardo, direto para a UTI (fez uma cirurgia no intestino – atresia duodenal, coisa simples).

Sueli Aparecida Amaro Borges
Assistênte social

Diferentemente da maioria dos pais, creio eu, sempre sonhei em ter uma filha. Vontade essa que só aumentou ao casar com uma bailarina super feminina e vaidosa, minha amada esposa Andreia Anastácio. Após longos quatro anos de tentativas e alarmes falsos, veio a grande noticia, a tão esperada gravidez aconteceu. Fiquei num estado de total euforia e satisfação. Os melhores nove meses que eu já tinha vivido. E quando o ultrassom revelou que era uma menina, nossa, não podia ser mais perfeito.

Sueli Aparecida Amaro Borges
Assistênte social

Ao sair da sala de parto em direção à sala de espera, fiquei uma eternidade atrás da porta de acesso pensando ‘todos esperam a famosa frase: ela nasceu e é perfeita’. Respirei fundo, criei coragem e fui. Passei pela porta, que naquele momento era uma barreira dura e pesada para o meu orgulho, e pronto, apresentei minha Allana ao mundo.

Sueli Aparecida Amaro Borges
Assistênte social